Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


BURLA NAS ATMs

por idealrevista, em 01.01.13

Vulnerabilidade das ATM dos bancos comerciais: Ladrões assaltam contas de clientes

Ouvir com webReader
UMA rede de ladrões tem estado a criar transtornos aos clientes de alguns bancos comerciais que operam no país, em especial na cidade de Maputo, através do serviço de mensagens curtas (SMS), enviadas por telefones celulares.
Maputo, Terça-Feira, 23 de Outubro de 2012:: Notícias

Os larápios instruem as suas vítimas a deslocarem-se às caixas de ATM onde, seguindo instruções, acabam associando as suas contas bancárias aos números de telemóveis dos bandidos que através do “Tako Móvel” efectuam o saque, sem nenhuma dificuldade.

Os clientes do Millennium BIM e do Banco Comercial de Investimento (BCI) são as vítimas preferenciais dos ladrões, alegadamente por terem maior volume de clientes que recebem os seus salários via banco. Para os dois bancos, o teor das mensagens enviadas pelos malfeitores aos clientes é a mesma. O “Notícias” teve acesso a algumas dessas mensagens, através de cidadãos burladas e que contactaram o nosso Jornal para relatar o que está a acontecer, sobretudo no final do mês. Pelo que passa a transcrevê-las de seguida: “Millennium BIM - SMS, caro cliente, a sua conta está cativa. Queira por favor contactar o balcão através dos números 82 7163244 ou 84 3912202, gestor Sérgio Manhique”.

“BCI Ponto 24: Caro cliente a sua conta está cativa. Queira por favor contactar o balcão sede do BCI pelos números 82 0663326 ou 84 2231858, gestor Yuran Coreia”.

O mesmo indivíduo (Yuran Coreia) enviou outra mensagem com o mesmo teor através do número 82 0897310, no dia 13 de Setembro, às 12.15 horas, para um outro cliente do banco.

Ainda, “daqui é do BCI Ponto 24, caro cliente a sua conta bci está cativa. Queira por favor contactar serviços mobail Ponto 24 através dos números 82 0663326 ou 84 2231858, gestor Carlos Miranda”. O número do envio desta mensagem é 84 2128814 datada de 28 de Agosto de 2012, aliás, todas estas mensagens foram enviadas este ano. E esta foi enviada ontem: “Millennium Bim caro cliente, a sua conta está congelada. Queira por favor contactar urgente a gerência através do nº. 82 04460967/84 7032602, Gestor: Carlos Miranda”.

Uma das questões que os ladrões pedem é o número do celular pelo qual a vítima foi contactada por eles. Para concretizar os seus intentos, estes colocam várias perguntas à vítima dentre as quais: Há quanto tempo é cliente do BIM ou BCI? Quando foi a última vez que viu o seu saldo? Qual era o valor do saldo? A que distância você está da ATM? Podes ir à ATM para activarmos a sua conta? Quando chegares a ATM ligue-me para te dar instruções?

Para conseguirem informações de carácter pessoal, os larápios alegam problemas do sistema bancário e por essa razão, a solução do problema detectado na conta do cliente passa por usar uma ATM.

Com estes argumentos alguns clientes distraídos ou por falta de conhecimento do funcionamento dos bancos acabam "caindo" na armadilha dos malfeitores, transferindo valores monetários para os ladrões ou associando as suas contas bancários aos números de telefones da rede de assaltantes, para logo de imediato o dinheiro ser levantado através do sistema “Tako Móvel”. Efectuada esta operação, o número é desligado, não sendo possível depois entrar em contacto com os ditos gestores bancários.

A nossa Reportagem testemunhou há dias um episódio no balcão de Timor-Leste do Millenium Bim, na baixa da cidade de Maputo, em que um cliente desta instituição financeira entrou aflito após ter recebido uma SMS inquietante, que anunciava o congelamento da sua conta, e de seguida o aconselhava a dirigir-se a uma ATM. Todavia, mais não fez se não deslocar-se ao seu balcão, para pedir esclarecimentos. Só que, do lado do banco não encontrou acolhimento adequado, pois o funcionário não se mostrou com disponibilidade para ouvir nada, limitando-se a dizer “essa mensagem não tem nada a ver com connosco”. O cliente, por sinal um idoso, visivelmente desesperado e sem qualquer informação sobre aquele caso, foi curiosamente assistido por outros clientes que também estavam naquela instituição bancária para tratar dos seus expedientes. Soubemos ainda que o referido cliente recebeu a mensagem estando na vila da Manhiça, sua terra natal, onde vive depois da reforma. Teve que viajar a Maputo, a fim de procurar saber os motivos do congelamento da sua conta, segundo a SMS que havia recebido. Só não transferiu dinheiro para os malfeitores porque não tinha cartão ATM, por qualquer razão.

Roubaram-me o salário por dois meses consecutivos

Maputo, Terça-Feira, 23 de Outubro de 2012:: Notícias
 

A. Macheque é outro cliente do Millennium Bim, reformado, que recebe a sua pensão através do Instituto de Segurança Social. A sua triste história começou no dia 16 de Junho deste ano, quando se dirigiu à ATM, do bairro 25 de Junho, na cidade de Maputo, com o objectivo de verificar se o dinheiro da sua pensão havia sido depositado. Só que infelizmente, o valor havia entrado, mas tornou a sair todo.

Consequentemente, A. Macheque dirigiu-se ao balcão para apresentar a sua preocupação. O funcionário que o atendeu recomendou-lhe a apresentar o caso ao Instituto de Segurança Social, uma vez que é pensionista. Dito e feito, ele foi para o INSS e, de lá, recomendaram-lhe que fosse à ATM no dia 22 do mesmo mês para consultar o saldo. Estranhamente, quando estava na fila da ATM na data recomendada, A. Macheque recebeu uma mensagem no seu telemóvel que dizia “caro cliente, a sua conta está cancelada, por favor contacte o número 82 1803464 para o devido descongelamento, falar com o gestor Carlos Manuel”.

O nosso interlocutor explica que uma vez que estava a tratar o assunto ligado ao desaparecimento do seu dinheiro da conta, acreditou na mensagem. Comprou uma recarga de 20 meticais para poder se comunicar com o suposto gestor da sua conta Carlos Manuel, quando estivesse na ATM, onde iria receber as devidas instruções. “De facto liguei para ele, instruiu-me e no final da operação saiu um recibo que indicava que a operação foi executada para o número 84 9515202, diferente do número do primeiro contacto. Ele disse-me para deitar fora o recebido, mas optei por conservá-lo”, explicou, adiantando que depois da operação, o homem da segurança do banco perguntou-lhe com quem estava a falar e depois de explicar que estava a dialogar com o gestor, este alertou-lhe que a sua conta tinha sido assaltada.

Preocupado, dirigiu-se mais uma vez ao balcão e desta vez o funcionário que lhe atendeu disse que este não era um caso do banco, porque o banco nunca lida com os seus clientes através de celulares. Agastado, A. Macheque dirigiu-se ao balcão da cidade da Matola, onde abriu a sua conta, e de lá foi lhe recomendado que mudasse do número do pin. Mas infelizmente, o valor da pensão do mês de Julho já havia sido todo roubado.

De novo o lesado retornou ao banco e o gerente disse que a solução passava pela mudança do cartão. “Também me disse que devia dirigir uma carta para o banco solicitando a reposição do valor saqueado e fi-lo, só que até aqui ainda não tive resposta”, lamentou.

Macheque disse que antes de remeter a carta à direcção do Bim, participou o caso à Polícia do bairro 25 de Junho e continua a aguardar pela evolução das investigações.

Entretanto, estes episódios aqui relatados são apenas uma gota de água no oceano para aquilo que está a acontecer actualmente com as contas dos clientes dos bancos comerciais. São muitas pessoas que já foram vítimas ou que já receberam SMS de ladrões, dando instruções para se dirigirem às ATM a fim de corrigir o que está errado com as suas contas.

Na tentativa de trazer esclarecimento sobre este assunto a nossa Reportagem contactou alguns bancos comerciais, sobretudo o Millennium Bim e o Banco Comercial e de Investimentos (BCI), os mais visados bem como as operadoras de telefonia móvel celular, mCel e a Vodacom. Destas instituições, apenas a Vodacom não se mostrou disposto a colaborar.

BCI avisa: o pin é secreto

Maputo, Terça-Feira, 23 de Outubro de 2012:: Notícias
 

A primeira advertência que os bancos fazem é que o pin é intransmissível, não se passa nem ao funcionário do banco. Segundo o BCI, na entrevista concedida ao “Notícias”, foi exactamente por reconhecer a onda de roubos protagonizados por gente de má-fé, que a instituição tem estado a desenvolver acções para travar o mal.

“O que nós podemos aconselhar ao cliente é que ninguém deve dar seus dados pessoais referentes ao banco a qualquer pessoa que seja, nem por telefone nem por correio electrónico, ou por SMS”.

De acordo com o representante daquela instituição bancária, ligado à caixa electrónica, é necessário prestar atenção em todos os processos bancários, desde a abertura de conta até à entrega do cartão electrónico, pois estão lá as instruções e as medidas de segurança que o cliente deve observar. “O banco não pede a ninguém, por SMS para tratar qualquer que seja o assunto”, explicou.

A fonte do BCI salientou que este tipo de fraudes não é novo no mundo e, muitas vezes os ladrões fazem-se passar por pessoas que querem ajudar, pedindo informações confidenciais. “O que podemos dizer é que as pessoas devem aprender a desconfiar e sempre que receberem uma mensagem ou chamada telefónica sobre o banco, dirigir-se ao balcão, antes de efectuar qualquer operação”, apelou.

Quanto à clonagem de cartões, outro fenómeno que está já a preocupar os clientes, o BCI tranquiliza, afirmando que se trata de um fenómeno que ainda não é muito vulgar em Moçambique e como medidas para evitar que se torne comum, a instituição vai introduzir novos cartões electrónicos ainda este ano.

Sobre a responsabilidade do banco em relação aos roubos, o nosso entrevistado disse que cabe às instituições bancárias informar e divulgar em todos os canais de comunicação os cuidados que os clientes devem ter para não serem enganados por ladrões. Mas deixou claro que as pessoas também têm responsabilidade pela sua propriedade.

Jamais o Bim contactará seus clientes por SMS

Maputo, Terça-Feira, 23 de Outubro de 2012:: Notícias
 

Já o Millennium Bim, através do seu Gabinete de Comunicação e Imagem, explicou que quanto à clonagem de cartões, não se têm verificado registos frequentes, mas reconhece que as tentativas de saques fraudulentos de dinheiro das contas dos clientes têm uma frequência maior.

Segundo a fonte, o Millennium Bim tem vindo a investir massivamente em componentes de segurança na área dos meios de pagamento electrónicos, das quais se destaca a implementação dos mais seguros standards internacionais em termos de cartões, a disponibilização de informação on-line via SMS sobre compras feitas pelos clientes, a filtragem de transacções potencialmente fraudulentas e, acima de tudo, o investimento permanente na informação aos clientes sobre os cuidados a terem na gestão diária dos seus meios de pagamento disponibilizados pelo banco.

Adianta o Gabinete de Comunicação e Imagem que para além de todos os investimentos em sistemas e meios já descritos, é opinião do Millennium Bim que o investimento mais relevante é no conhecimento, por parte dos clientes sobre os cuidados a terem na utilização dos seus cartões e outros meios de pagamento. “É importante ter presente que o banco nunca toma a iniciativa de contactar os seus clientes por email, SMS ou qualquer outro meio, no sentido de confirmar códigos de segurança que são absolutamente pessoais e intransmissíveis. Jamais o banco também contacta os clientes no sentido de os informar que as suas contas se encontram bloqueadas ou congeladas. Qualquer mensagem nesse sentido deverá sempre ser entendida pelos clientes como uma tentativa de fraude ou burla”.

O Millennium Bim chama também atenção aos seus clientes no sentido de terem cuidado especial com os seus cartões, respectivos pin’s e todos os demais códigos de acesso a meios disponibilizados pelo banco para efectuarem pagamentos, como é por exemplo a internet banking, o canal de SMS e ainda o serviço de banca telefónica.

Lembra ainda que tais códigos nunca deverão ser partilhados com terceiros, mesmo que estes se façam passar por pessoas ligadas ao banco. “Qualquer mensagem de SMS, de correio e-mail ou telefonema efectuado por iniciativa de alguém que se apresente como funcionário do Millennium Bim, com o objectivo de obter, directa ou indirectamente, códigos de acesso pessoais de clientes revestirá, sempre, uma tentativa de fraude ou burla”, advertiu acrescentando que essas SMS devem ser ignoradas, pura e simplesmente.

mCel e PRM coordenam esforços contra ladrões

Maputo, Terça-Feira, 23 de Outubro de 2012:: Notícias
 

Por sua vez, a operadora de telefonia móvel celular mCel contactada pela nossa Reportagem, também aconselhou os seus clientes e aos cidadãos, em geral, a desconfiar sempre que receberem mensagens com conteúdos duvidosos. Há alguns sinais que podem despertar que se está perante uma burla ou não por exemplo: “Se as mensagens ou chamadas aparentam estar relacionadas com a sua conta bancária, o aconselhável é antes de qualquer acção, contactar o seu gestor de conta para esclarecer as eventuais dúvidas ou suspeitas que tiver. Também quando receber uma mensagem relacionada com prémios da mCel, é preciso contactar a operadora. De referir que os concursos da mCel são publicitados pelos órgãos de Informação e na página da internet da empresa, para além de que se pode confirmar a veracidade da informação, através das lojas ou linha do cliente da empresa”.

A mCel que prestou estas declarações através da agência que lhe assessora, na área da comunicação e imagem, aconselha também aos seus clientes que ao se aperceberem que estão perante uma burla, devem apresentar queixa às autoridades competentes e esperar que a mCel, enquanto operadora, ajude no processo de investigação.

Adianta a agência que no prosseguimento destas investigações a instituição tem, por diversas vezes, desactivado números envolvidos em fraudes, sempre que se comprove tal ocorrência.

A uma pergunta sobre que tipo de dificuldades existem por parte da operadora (mCel) de identificar os burladores, tendo em conta que o registo de cartão inicial é obrigatório, explicou que apesar de existirem muitos clientes registados, ainda há casos daqueles que não efectuaram o registo. E é nestes últimos que aparecem alguns que utilizam o telefone para praticar fraudes.

A instituição assegurou que tem trabalhado com a Polícia para localizar os infractores. “Adicionalmente, temos estado a desenvolver campanhas a nível da Imprensa, por intermédio de anúncios publicitários, de modo a incentivar a que os clientes façam o registo dos seus números”.

Como medidas para proteger seus clientes, a mCel reduziu o número de acessos a determinadas operações, nas lojas, para o qual se exige a presença do titular do número de telefone.

  • Joana Macie

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:22


1 comentário

De João Sá a 02.01.2013 às 10:35

Olá :)

Sejam bem vindos à comunidade de Blogs do SAPO Moçambique (http://blogs.sapo.mz/) Gostamos de ver nascer novos blogs e faço dos votos de um bom ano de 2013, votos de que nos encontremos por aqui com frequência e que gostem de estar com o SAPO. Nós gostamos de vos ter connosco.

Deixo aqui alguns links que podem ser úteis e fico à disposição, aqui ou pelo email joao.sa@co.sapo.pt para qualquer ajuda ou dificuldade na utilização da plataforma de Blogs do SAPO.

Definir o título e a descrição do Blog
http://ajuda.sapo.pt/servicos.html?faq_id=5145&servico_id=5134

Configuração:
http://ajuda.sapo.pt/servicos.html?servico_id=5134

Dúvidas frequentes:
http://blogs.blogs.sapo.pt/124960.html

Toda a informação sobre blogs do SAPO em:
http://blogs.blogs.sapo.pt/

Hoje, este post está em destaque Na Rede na homepage do SAPO Moçambique (http://sapo.mz). Poderão sempre ver o histórico dos destaques na homepage dos Blogs do SAPO Moçambique (http://blogs.sapo.mz/)

Votos de bons posts e de um Feliz 2013 :)
João Sá
SAPO Moçambique

Comentar post




Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Janeiro 2013

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031



Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D